futurosustentavel02

Um Futuro Sustentável

Como viver uma vida de consumo consciente, respeitando o meio ambiente e as outras pessoas?

Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostrou que os brasileiros dão média 8,8 para a importância do consumo consciente, em uma escala de um a 10. No entanto, apesar de reconhecerem a sua importância, apenas duas em cada 10 pessoas podem ser consideradas plenamente conscientes no Brasil.Box futurosustentavel

Mas, o que, exatamente quer dizer consumo consciente?

Todo consumo causa impacto – positivo ou negativo – na economia, nas relações sociais, na natureza e em nós mesmos. Um consumidor consciente é aquele que leva em conta, ao escolher os produtos que compra, o meio ambiente, a saúde humana e animal e as relações justas de trabalho, além de questões como preço e marca.

Nós podemos viver uma vida que respeita os processos, o nosso planeta e as pessoas que vivem aqui conosco. Algumas ações no dia a dia podem nos ajudar nisso:

Evite o consumo de água mineral em garrafas

O Brasil é o quarto maior consumidor de água mineral engarrafada no mundo. A cada garrafa PET produzida, são geradas 100g de CO2, o que contribui para o aquecimento global. Além disso, ainda que sejamos um país com alto nível de reciclagem desse material, muitas embalagens ainda vão parar nos oceanos, causando um fenômeno chamado microplástico. Ele altera a composição do ecossistema marinho, mata animais e aumenta o risco de contaminação humana.

Atualmente, existe uma infinidade de filtros de torneira que são de qualidade e que oferecem um tratamento seguro da água. Além de ajudar o meio ambiente, também é uma boa maneira de economizar financeiramente.

Cuidado com os esfoliantes

Os cremes e sabonetes com esfoliantes são bem famosos, principalmente entre as mulheres. Mas, o que pouca gente sabe é que em alguns produtos as substâncias granulométricas – as responsáveis pela esfoliação – são microesferas de polietileno. Elas são altamente poluentes e contaminam as águas de mares, rios e lagos, por isso representam grande risco para os animais aquáticos e, consequentemente, para o ser humano.

Alguns outros produtos, como cosméticos, pastas de dente e sabonetes, também possuem as microesferas em sua composição. Para identificar quais as marcas que fazem uso desse material, procure as palavras “polyethylene” ou “polypropylene” nos rótulos da embalagem. Receitas caseiras de esfoliantes também podem ser uma solução.

Saiba de onde vem o que você compra

Atualmente, 27 milhões de pessoas vivem em situação de trabalho escravo ao redor do mundo. Muitas delas trabalham produzindo roupas e outros produtos de marcas que conhecemos e temos o hábito de usar.

O deputado estadual Carlos Bezerra Jr. é autor da lei contra a escravidão moderna. Ela prevê que os trâmites legais que envolvem empresas acusadas de condições de trabalho análogas à escravidão sejam acelerados, reduzindo a média de duração dos processos de 20 para dois anos. E também o fechamento dessas empresas, com a cassação dos seus registros de funcionamento.

Mas, nós podemos fazer a nossa parte. É só nos informarmos sobre as empresas que ainda utilizam mão de obra escrava e não mais comprar seus produtos. A internet disponibiliza várias listas com as marcas. Há também um aplicativo que mostra a situação de cada grife (iOS: https://itunes.apple.com/br/app/moda-livre/id768062605?mt=8| Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=br.org.reporterbrasil.modasemescravos&hl=en).

Mas, infelizmente, essa realidade não se limita à indústria da moda. A produção de chocolate também tem uma realidade amarga. Multinacionais famosíssimas financiam o trabalho forçado de crianças na África Ocidental, de onde vêm dois terços do cacau utilizado no mundo.

Por isso é bom se informar sobre a procedência de todos os produtos que compramos. Quando investimos em uma marca, acabamos concordando com suas políticas de produção e tratamento de empregados. Saiba como se portam as empresas em que você confia.

Tente ir de carona ou de bicicleta para o trabalho

Em um trajeto de quatro quilômetros, um carro zero libera 96 gramas de monóxido de carbono, 8,4 gramas de hidrocarbonetos e oito gramas de óxido de nitrogênio pelo escapamento. Isso é quatro a 10 vezes mais do que poderia emitir um carro com equipamentos antipoluentes, como os que existem em outros países. Cerca de 90% da poluição nas grandes cidades brasileiras é responsabilidade dos veículos.

Para tentar diminuir a produção desses gases tão críticos ao meio ambiente e, consequentemente, à saúde humana, as caronas são uma ótima opção. Ao invés de ir sozinho no seu carro para o trabalho, tente levar mais pessoas ou pegue carona com alguém. Você também pode tentar ir de bicicleta, que além de ajudar com a poluição, também é uma grande aliada de uma vida mais saudável.

Sustentabilidade vai muito além de não jogar lixo na rua. Uma vida que respeita o meio ambiente e as pessoas, é uma vida que respeita a criação de Deus em sua totalidade. Vale a pena pensar mais em nossos hábitos de consumo e investir num futuro sustentável.