chamadosparaperseverarABR17

Chamados para perseverar

O segredo para terminar bem

Você já teve um amigo que estava na igreja, participava dos cultos e ministérios, conversava sobre as coisas de Deus e estava sempre com as pessoas, e então, um dia, acabou indo embora e hoje já não está mais entre vocês? Isso acontece muitas vezes, e pode acontecer até mesmo conosco. Mas, o que nos faz desistir? O que faz com que caminhemos até certo ponto e depois mudemos de direção ou desistamos de prosseguir?

A verdade é que não importa como começamos, o mais importante é terminar bem. E boa vontade não é suficiente para que isso aconteça. O que vai fazer com Box chamadosparaperseverarque tudo o que Deus fala conosco se torne uma realidade é a perseverança. As pessoas que fizeram história não necessariamente foram as mais inteligentes, mas as que persistiram naquilo em que acreditavam.

Há muitas coisas disputando a nossa atenção, por isso, se não estivermos plantados no Reino, seremos muito vulneráveis às opiniões das pessoas e às circunstâncias ao nosso redor. A Palavra nos ensina a como sermos perseverantes e terminarmos bem.

Uma vida de culto a Deus

Em Hebreus 10.19-20, a Bíblia fala:

“Portanto, irmãos, temos plena confiança para entrar no Lugar Santíssimo pelo sangue de Jesus, por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, do seu corpo.”

Na época do Antigo Testamento, somente o sacerdote podia entrar na presença de Deus. Qualquer outra pessoa que fizesse isso, morreria. Mas, através do sacrifício de Jesus por nós naquela cruz, o véu do templo se rasgou de cima a baixo, e agora todos nós temos acesso direto a Deus.

Por isso, para perseverarmos, precisamos crer que nosso relacionamento com Deus não é só quando estamos na igreja, mas quando estamos no ônibus, no nosso quarto, quando estamos comendo. Em todo o tempo! Nossa vida deve ser um culto a Deus, tudo o que fazemos deve ser consagrado a Ele. Estamos 24 horas por dia e sete dias por semana na presença do nosso Senhor. E é assim que devemos viver.

Um coração sincero

Na continuação, o texto de Hebreus diz:

“Assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada e os nossos corpos lavados com água pura. Apeguemo-nos com firmeza à esperança que professamos, pois aquele que prometeu é fiel” (v. 22-23).

Uma vez, li que a origem da palavra “sincero” vem da época em que os mercadores vendiam vasos, e quando algum deles estava rachado, eles passavam cera para disfarçar a rachadura. Então, as pessoas acabavam comprando algo que não era exatamente o que estavam vendo. Por isso, passaram a pedir pelos vasos “sem cera”, vasos que eram exatamente aquilo que se via, sem nada oculto.

Se queremos fazer história e colocar em prática tudo o que ouvimos da parte de Deus, não podemos ter nada oculto nos nossos corações. Precisamos ser sinceros com relação aos nossos sentimentos, nossos pecados, nossos desejos e sonhos, nossas motivações.

Considerando uns aos outros

Nós não fomos feitos para ficar sozinhos, mas para andar como uma igreja-família, que vive o amor de Cristo, alcança o próximo e forma discípulos.

“E consideremos uns aos outros para nos incentivarmos ao amor e às boas obras. Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas procuremos encorajar-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês veem que se aproxima o Dia” (Hb. 10.24-25).

Quem crê anda junto, que não crê se isola. É andando com os outros que vamos nos estimular às boas obras. Em João 17.23, Jesus ora para que sejamos um:

“Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste.”

É a nossa unidade que vai impactar o mundo.

Quando não fazemos da nossa vida um culto, não temos um coração sincero e não queremos viver em unidade, resistimos aos planos de Deus para nós. Fazer isso é pegar o sacrifício de Jesus e pisar em cima (Hb. 10.26-31), é viver uma vida que não sabemos onde e nem como vai terminar.

O diabo vai fazer de tudo para marcar a nossa santidade, os nossos relacionamentos, para nos manchar e fazer com que vivamos com a consciência culpada, amedrontados e escravos da comparação. Precisamos perseverar para terminar bem! O final do texto de Hebreus 10 diz:

“Nós, porém, não somos dos que retrocedem e são destruídos, mas dos que creem e são salvos” (v. 39).

Nós só temos um plano, que é seguir em frente e perseverar, em nome de Jesus!

 

FernandoDiniz