oquenosmoveAGO18

O que nos move?

O Espírito Santo acende o fogo em nós

Tenho o privilégio de ser pastor de uma grande igreja. A Comunidade da Graça tem sido uma referência no Brasil e no exterior. Pura misericórdia de Deus!

Minha principal alegria hoje é ver cada membro da igreja sendo preparado para o mesmo ministério de Jesus. Não acredito na eficiência de um pensamento ou prática que escore a vida da igreja num líder específico, por isso que acreditamos que cada membro é um ministro de Jesus. Pregamos com as nossas vidas!

A igreja que encontro na Bíblia, apresentada em Atos dos Apóstolos, tinha uma liderança santa compartilhada entre os apóstolos, mas a qualidade principal daquela comunidade estava num povo ativo, de mãos no arado, implantando o Reino de Deus na terra. Os membros da igreja primitiva não eram meros expectadores de cultos. Cada um deles era um instrumento vivo de Deus, com presença marcante e transformadora naquela sociedade.

Que poder movia aqueles cristãos? E que poder vai mover os cristãos de hoje? Não acredito que haja a menor possibilidade de qualquer realização expressiva no Reino de Deus e no mundo sem uma ação sobrenatural do Espírito Santo. O ministério, ou seja, o serviço de Jesus para Deus e os homens, era resultado direto desse mover.

Em Atos 10.38 está escrito:

“Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com poder, o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele”.

O texto mostra os três verbos de ação presentes na vida de Cristo - andar, fazer e curar - e, ao mesmo tempo, o controle, a inspiração e a dependência dele do Espírito.

Isso é tudo o que o mundo precisa hoje: pessoas cheias do Espírito Santo. Mas Deus só fará isso em favor daqueles que querem e O buscam com um coração arrependido. Se nós mesmos estamos no comando da nossa vida, nosso comportamento será segundo a carne e não segundo o Espírito (Gl. 5.17).

Só há uma saída para a nossa carne, para a nossa natureza humana inclinada para o pecado e para a nossa própria vontade e interesse: a cruz de Cristo!

“E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito” (Gl. 5.24-25).

Assim que a igreja primitiva surgiu nos lares, e o número de crentes aumentava, os apóstolos faziam uma pergunta simples a cada um dos novos cristãos. Uma pergunta que precisa ser feita ainda hoje, da mesma forma que está registrada em Atos 19.1-6:

“Enquanto Apolo estava na cidade de Corinto, Paulo viajou pelo interior da província da Ásia e chegou a Éfeso. Ali encontrou alguns cristãos e perguntou: - Quando vocês creram, vocês receberam o Espírito Santo? Eles responderam: - Nós nem mesmo sabíamos que existe o Espírito Santo. - Então que tipo de batismo vocês receberam? - perguntou Paulo. - O batismo de João Batista! - responderam. Então Paulo disse: - João batizava aqueles que se arrependiam dos seus pecados. E também dizia ao povo de Israel que eles deviam crer naquele que havia de vir depois dele, isto é, em Jesus. Depois de ouvirem isso, aqueles homens foram batizados em nome do Senhor Jesus. Aí Paulo pôs as mãos sobre eles, e o Espírito Santo veio sobre eles. Então começaram a falar em línguas estranhas e a anunciar também a mensagem de Deus”.

Havia sinceridade e até boa vontade naqueles cristãos, mas não sabiam absolutamente nada sobre a pessoa e importância do Espírito Santo. Além do que, só haviam sido batizados no batismo das águas proposto por João Batista; o batismo do arrependimento. Mas não haviam sido batizados com o Espírito Santo; com fogo. O próprio João Batista, primo de Jesus, declarou em Mateus 3.11:

“Eu vos batizo com água, para arrependimento; mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu, cujas sandálias não sou digno de levar. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.”

O Jesus apresentado nos nossos dias por grande parte dos líderes religiosos, parece restrito a curas, milagres e prosperidade. Tudo isso é muito bom e Ele tem poder para agir nessas esferas também, mas o grande impacto de Cristo na nossa vida está relacionado ao Espírito Santo. Quando uma pessoa é batizada por Cristo com o Espírito Santo e com o fogo, surge no coração uma chama, uma paixão que a impulsiona a realizar as mesmas obras de Jesus na terra. Não há possibilidade desta mudança espiritual sem o Espírito Santo.

Falo do Projeto Eterno de Deus para o homem, registrado em Romanos 8.29, desde o início do meu ministério. Deus quer ter na terra uma família com muitos filhos semelhantes a Jesus. Como admitir tal semelhança com Cristo excluindo o Espírito Santo? Jesus moveu-se o tempo todo neste poder.

O que nos move? O que irá mover a igreja a expressar verdadeiramente a compaixão, a misericórdia, a graça e o amor de Deus para além das quatro paredes? Precisamos constantemente procurar ser cheios do Espírito Santo. A igreja não é um movimento. A igreja não é uma utopia. A igreja é a realidade do poder de Deus, movido pelo Espírito Santo, levando as pessoas a serem transformadas pelo sacrifício de Cristo, a poderem viver uma vida completamente nova. É Ele que nos move, é o Espírito Santo que nos conduz, assim como fez com Jesus, para honra e glória do Pai! Aleluia!

 

CarlosAlbertoBezerra02