acostrucaoJUL18

A construção de uma família

Uma semeadura diária para uma colheita certa!

Todos nós enfrentamos dificuldades no convívio familiar, por isso é muito comum ouvirmos as pessoas dizendo: “Eu vim de um lar desajustado”, “meu pai era um alcoólatra”, “minha mãe abandonou a casa”, “havia violência dentro da minha casa”. Muitos enfrentam problemas sérios na família, com os pais ou irmãos, com o cônjuge ou com os parentes.

A família é um projeto de Deus, mas a construção é humana. O quê? Sim, a construção de um bom relacionamento familiar, sólido, leva tempo e precisa de uma semeadura diária. Não podemos pensar que num passe de mágica as coisas irão acontecer em nosso lar, pois a vida não é assim.

Os textos de Gênesis 29.31-35 e 30.1-24 mostram claramente que a casa de Jacó era uma bagunça. Havia uma concorrência feroz naquela família, havia divisão, inveja. Essa é a história dos pais das tribos de Israel. Assim começou a história do povo judeu. E, acredite, isso serve de esperança para aqueles que cresceram num lar desajustado. Deus tem uBox aconstrucaoJUL18m plano, Ele quer lhe dar uma vida nova e fazer coisas grandes a partir disso. Veja o que aqueles textos nos ensinam:

1- Não existem famílias perfeitas

Às vezes, temos uma visão romântica e idealizada de que aquele que anda com Deus tem a vida toda “redondinha”, mas a verdade é que não é assim. Quando olhamos para a história de famílias como a de Davi, Abraão, Moisés e outros, vemos que todos eles tinham dificuldades em seu lar.

Da mesma forma, a Bíblia mostra bons reis que nasceram de péssimos pais, e bons pais que tinham péssimos filhos. Então, não fique desesperado, mas olhe com esperança o amanhã. Este não é um convite a deixar sua casa uma bagunça. Nada disso! É um chamado a acreditar que Deus vai derramar Sua maravilhosa graça no meio da desordem que, por vezes, está a nossa família, porque “onde o pecado abundou, superabundou a graça” (Rm. 5.20-21). Como Deus visitou a casa de Jacó em meio à bagunça, Ele também visitará o seu lar. Deus tem uma aliança com a nossa casa (2Sm. 23.5).

2- Quando Deus trabalha numa família é para reparar o mal

Deus quer trazer equilíbrio e não acirrar o mal. Lia era pouco amada, mas Deus a fez muito fértil (Gn. 29.31). A atuação de Deus na vida de algumas pessoas que cresceram num lar disfuncional é de torná-las mais sensíveis, amorosas, humanas.

3- O nosso lar será a expressão da nossa semeadura

A casa de Jacó era uma expressão daquilo que ele semeava. Jacó era enganador e enrolado, por isso gerou dentro do seu lar o que ele era fora de casa: competição, enganação, rivalidade, ciúmes, uma mulher querendo “puxar o tapete” da outra, etc.

Mais à frente, os filhos de Jacó repetiram as atitudes do pai quando trapacearam, enganaram e venderam o irmão José. Que tipo de lar estamos gerando? Que tipos de sementes estamos semeando em casa? Essas perguntas podem tornar você um José, aquele que é usado por Deus para começar a mudar a história da sua casa!

4- Não coloque pressão sobre os filhos

Os filhos de Jacó nasceram para compensar as desvantagens e não por uma proposta bonita de um pai e uma mãe desejando uma descendência. Lia queria ter filhos para compensar a sua desvantagem, pois não tinha o amor do seu marido. E é nessa loucura toda que passou a valer tudo, até as escravas entraram no meio da relação. Os filhos nasceram e cresceram em um ambiente de pressão e confusão.

Alguns pais são frustrados na sua profissão e jogam nos filhos a pressão para serem o que eles gostariam de ser. Logo dizem: “Você tem que ter sucesso”, “tem que ser rico”. No outro extremo estão os que não exigem nada e a tudo respondem com um “sim”. Não percebem o mal que fazem a seus filhos, que, ao darem de cara com um “não”, não sabem como reagir e acabam pensando até em tirar suas próprias vidas. Tem também aqueles pais que exigem de seus filhos uma vida espiritual e santa que eles mesmos não têm! Será que esse é o caminho?

Precisamos do equilíbrio de uma vida sábia, alicerçada na Palavra e na comunhão com o Espírito Santo. Que expressa amor e compaixão com palavras e atitudes, e que fortalece a identidade dos filhos em Cristo!

5- O tempo não resolve nossos problemas

Lia pensou: “Quando eu tiver mais filhos, Jacó se apaixonará por mim” (Gn. 30.20). Muitos casais pensam que para se resolver uma crise conjugal será necessário ter um filho, fazer uma viagem, comprar roupas, trocar de casa ou carro. A verdade é que isso não resolve nada! O que resolve é tomar uma atitude, orar, conversar e acertar as diferenças.

Deixar as coisas rolarem para “ver como vai ficar” trará um resultado desastroso! Mas procurar enfrentar e resolver o problema será o caminho da graça do Senhor em nossas vidas (Hb. 3.13).

Consagre a sua família e coloque o seu lar debaixo do sangue de Jesus e sob a proteção do Senhor. Entreguem seus caminhos ao Senhor e Ele tudo fará! "Pois vejam! Criarei novos céus e nova terra, e as coisas passadas não serão lembradas. Jamais virão à mente! Alegrem-se, porém, e regozijem-se para sempre no que vou criar, porque vou criar Jerusalém para regozijo, e seu povo para alegria. Por Jerusalém me regozijarei e em meu povo terei prazer; nunca mais se ouvirão nela voz de pranto e choro de tristeza” (Is. 65.17-19).

 

RonaldoBezerra