oretratoMAR18

O retrato da igreja do Novo Testamento

A doutrina dos Apóstolos

Há algumas palavras que, por parecerem difíceis de interpretar seu significado, assustam os leitores. Uma delas é: doutrina, que pode ser definida como o conjunto de princípios que servem de base a um sistema religioso, político, filosófico, militar ou pedagógico. Ou seja, um grupo de ideias fundamentais a serem transmitidas, ensinadas.

No Antigo Testamento, a palavra doutrina aparece como tradução do hebraico Ieqah, que significa “o que é recebido” (Dt. 32.2; Jó 11.4; Pv. 4.2; e Is. 29.24). Já no Novo Testamento temos dois termos da língua grega que representam a palavra doutrina. Um deles é didaskalia, e o outro, didachê. Ambos se referem ao ensino dado àqueles que recebiam a mensagem do cristianismo (Mt. 7.28; Jo. 7.16-17).

A doutrina é de especial importância, porque a proclamação certa do Evangelho depende do entendimento exato de quem Deus é, do que as Boas Novas são, do que é a salvação e de como se a recebe. A igreja tem a responsabilidade de proclamar fielmente o verdadeiro Evangelho, e todos os cristãos devem conhecer profundamente as verdades ali proclamadas.Box oretratoMAR18

Aos discípulos, Jesus declarou que edificaria Sua Igreja (Mt. 16.18). O fundamento e as colunas desse edifício são as doutrinas bíblicas fundamentais, as quais dão sustentação a esse edifício espiritual (1Co. 3.9-10 e 16). A igreja é edificada sobre “o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus é a principal pedra de esquina” (Ef. 2.20).

Sendo assim, precisamos considerar estes fatores que, sem dúvida, são muito relevantes para quem deseja entender do que Lucas fala em Atos 2.42, ao relatar a vida da igreja primitiva. No começo, as doutrinas apostólicas não estavam bem definidas ou totalmente sintetizadas para a compreensão das igrejas. Os ensinos de Jesus só foram organizados em estudos doutrinários algum tempo depois de sua morte. Quando ainda vivos, os apóstolos eram, por assim dizer, o “próprio” ensino doutrinário; isto porque tinham sido testemunhas vivas de Jesus. Após a morte do último apóstolo, João – que se deu por volta do ano 100 d.C. –, os escritos não estavam compilados pelo fato de o cânon bíblico ainda não ter sido formado. Havia a necessidade de reunir esses textos que se tornariam normativos às igrejas da época.

O que no começo se ensinava era a respeito da salvação trazida por Cristo e a respeito do Evangelho da salvação proclamada e explicada pelos apóstolos do primeiro século. Os discípulos de Jesus não tinham em mente sistematizar as doutrinas. Elas foram tomando espaço à medida em que as heresias – promovidas pelos estudiosos e filósofos da época –, surgiam.

A “doutrina dos apóstolos”, citada em Atos 2.42, refere-se ao ensino que aqueles homens receberam de Jesus e que foram comissionados a ensinar. Não se tratava de um conjunto de princípios da cabeça dos apóstolos Pedro, João, Tiago ou Paulo, mas da reprodução mais pura dos ensinamentos do próprio Jesus.

Jesus revelou a Sua vontade aos apóstolos e mandou que eles a entregassem ao mundo. Muitos pensam que a igreja “inventou” as Escrituras como uma forma de controle de massas, mas o relato de Lucas demonstra que foi a pregação do Evangelho que deu origem à igreja. Então, santos apóstolos e profetas guiaram a igreja até Deus completar a Sua revelação através do Espírito Santo (Ef. 3.5). A doutrina da igreja primitiva veio dos apóstolos porque eles a receberam diretamente de Deus.

"Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas" (At. 2.41).

Nunca teria havido uma igreja primitiva a não ser por este ensino específico. Por isso, devo enfatizar a importância do ensino, porque foi ele que conduziu às conversões, à transformação. Elas “aceitaram a palavra” e “foram batizadas”. E somos informados no verso 44 que "todos os que creram estavam juntos". No que eles creram? No mesmo ensino. Porque era de Pedro? Não, porque era do próprio Cristo.

É importante que sejamos perseverantes na doutrina dos apóstolos. Devemos prestar atenção àquilo que eles ensinaram, por ser a principal fonte de informação a respeito de Jesus e do Seu ensino. Os seus ensinamentos devem servir-nos como fundamento da teologia bíblica, para não corrermos o risco de nos afastarmos da verdade. Em seguida, tenhamos o cuidado de manter a comunhão com os irmãos em verdadeira fraternidade e partilha. Por causa deste testemunho, era dito nos primeiros tempos: “Vede como eles se amam”. Esse é o retrato fiel da verdadeira igreja de Cristo.

 

CarlosAlbertoBezerra02