deixeseumedoJAN18

Deixe seu medo morrer de fome

Alimentando nossa fé e fortalecendo a esperança

Há uns anos atrás me deparei com uma frase do reconhecido escritor americano, Max Lucado, que dizia: “Alimente sua fé e seus medos morrerão de fome”. E ela me levou a refletir sobre a grande quantidade de situações que podem paralisar a fé dos cristãos, tornando-a fraca, inoperante.

O texto de Números 13 nos mostra que um grupo de espias foi enviado à terra de Canaã. Dez deles retornaram afirmando que gigantes poderosos habitavam aquela terra e que seria impossível derrotá-los. Apenas dois daqueles espias, Calebe e Josué, homens de fé e visão, declararam:

“Subamos e tomemos posse da terra. É certo que venceremos!”

Os primeiros eram maioria, e os filhos de Israel aceitaram o relatório deles. Ao fazer assim, estavam dizendo que não podiam conquistar aquele território. E receberam exatamente o que disseram. Com exceção de Josué e Calebe, aqueles homens e o restante daquela geração dos israelitas nunca chegaram a ver a terra prometida. Ficaram peregrinando no deserto até morrer.Box deixeseumedoJAN18

Eles deram um exemplo da fé invertida. Afinal de contas, mesmo quando duvidamos, estamos crendo em alguma coisa! Estamos crendo na derrota. Estamos crendo na coisa errada. Sempre recebemos na nossa vida aquilo em que cremos e aquilo que falamos. Se continuarmos dizendo alguma coisa por tempo suficiente, essas palavras acabarão se registrando em nosso espírito. E, uma vez registradas, controlarão a nossa vida.

Em Marcos 11.23 está escrito:

“Porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito.”

Essa é a “fórmula da fé” para remover qualquer montanha que esteja presente em nossa vida. Quer ela seja uma enfermidade, entes queridos não salvos, dificuldades financeiras, ou problemas na família. Esse é o caminho!

É preciso confessar com a boca aquilo que se crê no coração. Tudo o que você diz é a sua fé falando. Note o bom relatório de Josué e de Calebe. Confiavam no Senhor, e seu coração estava cheio de fé para Deus introduzi-los na terra que Ele prometera aos antepassados deles. Duas vezes exortaram o povo a não temer. E qual foi o resultado do seu relatório de fé? Depois de 40 anos de peregrinação no deserto, e depois de morto o povo daquela geração que aceitara o relatório infamante dos 10 espias, Josué se tornou o líder nacional. Ele e Calebe levaram o povo à vitória.

Não são os gigantes da vida ou as tempestades que nos derrotam. São os pensamentos e as palavras erradas, que nos impedem de ter uma visão ampliada, uma fé inabalável. Assim como a de Abrão, que creu na promessa de que teria um filho contra o que muitos esperavam ao ver sua idade. Que creu quando o Senhor lhe ordenou sair do lugar onde estava para ir para uma terra que Ele mesmo tinha preparado. Temos que abandonar as atitudes que alimentam nossos medos e começar a desenvolver a nossa fé, alicerçando-a cada vez mais firmemente em Cristo!

Nossa fé não depende das circunstâncias. Devemos falar com confiança e fé, “sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá coisa alguma do Senhor; é alguém que tem mente dividida e é instável em tudo o que faz” (Tg. 1.6-8). Procuremos ser cheios do Espírito Santo, cheios do amor do Pai, porque é isso que “lança fora todo medo” (1 Jo. 4.18).

 

CarlosAlbertoBezerra02