vivendoemamor02

Vivendo em amor

Não fomos chamados para ficar na torcida

No exterior, o Brasil é conhecido como o país do futebol. De fato, o esporte levanta verdadeiras paixões em todo canto da nossa amada nação. Box vivendoemamorAté é comum ouvir que em cada torcedor existe um treinador frustrado, por como nas arquibancadas, frente à TV ou nos escritórios, homens e mulheres se expressam sobre o que seu time deveria fazer para ficar com a vitória. Alguns, os mais apaixonados, parece que desejariam eles mesmos entrar em campo para resolver a situação do seu clube do coração.

Essa situação parece ter se trasladado a muitas igrejas, onde as pessoas ficam nas suas poltronas, ouvem as ministrações, conseguem identificar o que deve ser feito, mas não são movidas à ação, não há prática.

O livro de Atos, no capítulo 9, registra a história da única mulher que foi chamada de discípula de Jesus. Seu nome era Dorcas e o seu amor pelo Mestre era demonstrado pelo cuidado e dedicação aos seus semelhantes. Ela usava seu talento de costureira para auxiliar os outros na confecção de peças de vestuário. Confortava os tristes, ajudava os pobres e levava alegria a muitas pessoas. Era o tipo de mulher que qualquer pessoa gostaria de ter como vizinha e amiga, alguém sensível às necessidades das pessoas. Suas boas ações a tornaram grandemente amada.

Isso fica explícito quando ela ficou enferma e veio a falecer. Um sofrimento indescritível atingiu os que foram beneficiados por suas mãos. Dorcas era conhecida pelos valores que construía, assim como por esmolas e ofertas que oferecia. Essas coisas causavam tamanho impacto no coração de seus amigos, que eles diziam: “Uma pessoa destas não pode morrer!” E, inconformados, mandaram chamar Pedro, que, segundo o relato:

“foi com eles e, quando chegou, foi levado para o quarto do andar superior. Todas as viúvas o rodearam, chorando e mostrando-lhe os vestidos e outras roupas que Dorcas tinha feito quando ainda estava com elas. Pedro mandou que todos saíssem do quarto; depois, ajoelhou-se e orou. Voltando-se para a mulher morta, disse: "Tabita, levante-se". Ela abriu os olhos e, vendo Pedro, sentou-se. Tomando-a pela mão, ajudou-a a pôr-se de pé. Então, chamando os santos e as viúvas, apresentou-a viva.” (At. 9.39-41).

Restituir a vida dessa mulher tão amada era a maneira de Deus dizer o quão vital era o dom de Dorcas em favor de Seu Reino, da Sua causa na Terra. Ela sabia quem carecia de roupa confortável e quem necessitava de simpatia, e, liberalmente, supria essas pessoas. Agia! O relato de sua vida é uma admoestação para nós. É um convite para abandonarmos nossos lugares na arquibancada e entrarmos no campo!

Quando a vida das pessoas transborda de amor em ação é porque elas se tornaram mais eficientes em retratar o caráter de Deus. O mundo aprende a confiar no que os cristãos fazem através de fortes exemplos que causam grandes impactos no viver diário, mais do que nas palavras ditas.

Nós também podemos servir aos outros com nossos dons. Podemos levar alegria às pessoas que nos rodeiam, por simples atos de bondade e amor. Portanto, nossa vida pode ser uma bênção, se pegarmos o pouco que temos e começarmos a usá-lo para servir outros.

A vida em amor é o sacrifício, o pastoreio. Dorcas entendia isso e viveu sua vida neste sentido, atendendo aos que estavam na sua comunidade. Deu tudo o que tinha, se entregou completamente para o serviço dos que andavam com ela.

E essa é a visão da Comunidade da Graça. Uma igreja família, que vive o amor de Cristo e alcança assim o próximo, para formá-lo como discípulo de Jesus e para que ele continue com essa prática, vivendo em amor e serviço, pastoreando, cuidando do seu irmão. É uma ação contínua!

“Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros”, disse Jesus (Jo. 13.35).

Não fomos chamados para olhar de fora, para dar palpite, para ficar na torcida. Fomos chamados para entrar em campo, para a ação, para proclamar o Seu Reino vivendo em amor uns com os outros. Fomos chamados para fazer discípulos! Então vamos juntos cumprir a Grande Comissão e exaltar o Nome sobre todo nome com as nossas vidas.

 

CarlosAlbertoBezerra02