ekklesiaMAI17

Ekklesia

A missão apostólica da igreja

Se eu lhe perguntar o que é igreja, você responderá de acordo com o conceito que você tem formado. O que ela é para você determinará a forma como vai se relacionar com ela. Hoje, as pessoas têm três imagens sobre a igreja. Algumas pensam que é como um posto de gasolina, vão lá para serem abastecidas, para receber alguma coisa. Outras, porém, pensam que é um cinema e vão lá procurando entretenimento. E a terceira imagem que muitos têm da igreja é que ela é como um supermercado, onde adquirem o que desejam.Box ekklesia

Essas imagens são similares entre si. Elas sustentam o consumismo. “Me dê o que preciso”, “me abençoe”, “ore por mim”. Lamentavelmente, muitas igrejas vão nessa direção. Mas esse é o caminho do declínio, porque quando nos tornamos consumidores nunca ficamos satisfeitos, não nos comprometemos com a missão da igreja e nem experimentamos o verdadeiro poder da ressurreição.

Paulo disse que o poder só seria dado para a Eclésia. Mas, o que é isso? Trata-se de um termo de origem grego - ekklesia - que deu origem à palavra “igreja”. O conceito que envolve seu significado já era conhecido 480 anos antes de Cristo. Sócrates, Platão e Aristóteles já tinham ouvido falar de Eclésia. E quando Jesus falou disso em Mateus 16, não precisou explicar aos discípulos qual era seu significado. Eles já sabiam do que o Mestre estava falando.

Eclésia significa “os chamados”. Na Grécia antiga, ela era formada por cidadãos comuns que tinham mostrado sua fidelidade servindo ao exército, e que representavam o conselho da cidade e determinavam o seu futuro. Eram pessoas poderosas e respeitadas. Seu principal propósito como Eclésia era expandir o Reino e, como cooperadores do Rei, tomavam decisões estratégicas para completar sua missão. Quando chegava o tempo de invadir algum território, eles, como generais, iam à frente nas batalhas e atacavam os portões das fortalezas que protegiam as cidades. Na época do Império Romano, aqueles homens que formavam esse seleto grupo eram conhecidos como “apóstolos”.

Os apóstolos iam contra as portas das cidades e gritavam: “Escutem! Somos o Império Romano. Abram os portões ou iremos atacá-los”. Se não obedecessem, eles lideravam a Eclésia na invasão. Esse é o poder do apóstolo, da Eclésia, de entrar e conquistar a cidade para que o Reino de Deus se expanda.

Essa é a figura da igreja. Bem diferente do posto de gasolina, do cinema ou do supermercado. Jesus disse:

“Eu edificarei minha Eclésia” (Mt. 16.18).

E ela é tão poderosa que não poderá ser derrotada pelas portas do inferno.

A Eclésia de Jesus é um grupo de pessoas chamado do reino das trevas. Ele chamou essas pessoas para fora do reino das trevas, para se tornarem Sua habitação, Seu corpo, Sua família, Seu templo. Para quê? Para reinar com Cristo, com o Rei dos reis, e expandir o Reino de Deus na terra. Para ser apóstolos enviados, quebrar as portas do inferno, libertar aquelas pessoas que habitam lá e levá-las para o Reino dos Céus.

Muitos cristãos pensam que o reino das trevas é poderoso e está constantemente nos atacando. Mas, será que podemos ser atacados por uma porta? Por algo que está ali para se defender? Alguma vez você viu um filme épico onde os exércitos eram atacados pelos portões e não ao contrário? Portas são apenas defensivas. Na verdade, a Eclésia está ali para atacar os portões! Isso é prevalecer sobre as portas do inferno.

Como você destrói uma porta? Karatê? Jiu-Jitsu? O que fazer? Use as chaves. Jesus deu as chaves do Reino para a igreja. Em Mateus 18 as chaves, o poder para atacar e destruir as portas do inferno, foram dadas para todo aquele que crê, para cada membro da Eclésia. Essas chaves são os ministérios da igreja – intercessão, batalha espiritual, cura, milagres, pregar o Evangelho – e, juntas, libertam pessoas da escuridão e as levam para o Reino da luz. Esse é o trabalho da igreja. Deus nos deu essas chaves.

A Eclésia é muito poderosa e ela é edificada por Jesus. Mas as pessoas pensam na igreja como um lugar onde elas vão para receber. As igrejas não são mais um exército, não são mais apostólicas. Mudamos o conceito. As igrejas precisam ser apostólicas, proféticas e pastorais. Elas precisam enviar os chamados, proclamar o Evangelho e cuidar das pessoas!

Essa é a igreja que tem vida. É isso que precisamos procurar ser. Deixar de ser postos de gasolina, cinemas ou supermercados para nos tornar uma Eclésia. Usar o que Deus nos deu para avançar invadindo o reino das trevas. As portas do inferno estão ali para tentar se defender do ataque constante da igreja, mas Jesus já nos disse que elas não prevalecerão. Vamos juntos então cumprir com o propósito da Eclésia de Cristo, libertar pessoas e expandir o Reino de Deus.

 

EddyLeo