influenciaexpressiva02

Influência Expressiva

A cidadania ativa é o caminho para sermos luz do mundo

Você já ouviu aquela frase: “quando os bons se omitem, os maus assumem o poder”? Isso não é apenas sabedoria popular, a Bíblia nos Box influenciaexpressivamostra isso claramente no texto de Juízes 9.1-21. Quando as árvores quiseram um rei, elas convidaram a oliveira, a figueira e a videira para assumirem essa responsabilidade. Mas todas elas rejeitaram por estarem “ocupadas demais”.

Quando os bons se omitem, os espinheiros se oferecem para governar. Eles representam aqueles que não têm valores ou princípios, só têm interesses. Se nós cristãos não levarmos a sério esta verdade, sempre as pessoas sem valores e princípios governarão sobre nós. Necessitamos de homens e mulheres que possuam valores morais e éticos em concordância com os princípios de Deus. Necessitamos exercer um chamado de influência expressiva.

Influência expressiva não é sinônimo de influência irada, beligerante, intolerante, julgadora, desatinada e cheia de ódio, mas sim de influência cativante, gentil, solícita, amável, persuasiva, própria de cada circunstância e que sempre protege o direito do outro de discordar. Como cristãos procuramos o diálogo e promover, constantemente, a paz.

A Bíblia nos mostra diversos exemplos de pessoas fiéis a Deus que influenciaram governos seculares. Um deles é Daniel, profeta judeu que exerceu forte influência sobre o governo na Babilônia. Neemias era “copeiro do rei” Artaxerxes, tinha acesso direto a ele. O conselho de Jeremias aos exilados judeus também corrobora a ideia de que pessoas fiéis a Deus podem influenciar leis e governos. Ele disse:

“Busquem a prosperidade da cidade para a qual eu os deportei e orem ao Senhor em favor dela, porque a prosperidade de vocês depende da prosperidade dela” (Jr. 29.7).

“Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa. Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens.”

Foram as palavras de Jesus, segundo o que está registrado em Mateus 5.14-16, que marcam, definitivamente, o fato de que nós cristãos estamos chamados a influenciar expressivamente cada um dos lugares pelos quais andamos.

Ao longo da história, as convicções de cristãos ilustres como William Wilberforce ou Martin Luther King Jr. levaram os governos a valorizar os direitos humanos, a liberdade individual, conceder o direito de propriedade, o direito ao voto das mulheres, o fim da escravidão.

E como nós podemos então exercer essa influência expressiva? Todo cidadão cristão que vive numa democracia tem, no mínimo, a obrigação de ser bem-informado e de votar nos candidatos e nas propostas mais coerentes. Vá, informe-se, pesquise, analise as propostas de cada candidato, pondere sobre a idoneidade do mesmo para exercer o cargo, veja o que é melhor para sua cidade, procure alguém sobre quem você possa declarar “este me representa” e vote consciente. Mas não pare por aí. A nossa participação é de extrema importância, então devemos cobrar dos candidatos eleitos que cumpram com suas promessas de campanhas, que prestem contas de suas ações.

Esse é nosso desafio. Manifestar uma influência expressiva para revertermos o processo de declínio contínuo na paz, na civilidade e na liberdade que temos observado nas nossas sociedades. Vote, participe ativamente, e faça a luz do Cristo que habita em você brilhar ainda mais, para juntos construirmos uma sociedade ainda melhor.

 

CarlosAlbertoBezerra02